Crônica: Meu outono de 83

Crônica: Meu outono de 83

Saudações! Estimada Monaliza, escrevo-te esta carta relatando a minha história até você, não sei se tens interesse em saber, mas te enviarei tudo que quero te dizer.

Depois que perdi Lucy, Amélia, Juliana, Carolina, e agora você, Monaliza. Pude perceber que como poeta, sirvo apenas para amar, ser da minha própria solidão, e escrever para preencher todos os amores vazios e as dores cinzas que nascem nas quartas-feiras de álcool e cigarros baratos. Arrependo-me de quando deixei você ir embora no outono de 83, desejei profundamente que você dissipasse de mim, e no mesmo minuto que me arrependi… Você me deu as costas, e você tinha razão, havia dito coisas terríveis. Desculpe-me!

E enfim, é outono novamente! Quando as flores caem, lembro que te despedacei e fui egoísta o suficiente para não enxergar que você só queria estar ao meu lado, nada além disto. Minha flor, perdoe a minha ignorância.
     Estou sozinho desde então, engano-me com falsas conversas, pseudo-amigos e ilusórios amores, vivendo esta vida vazia.
     Contudo, não lamento… talvez o amor seja isso, algo que chega e depois vai embora sem deixar rastros, sem deixar pistas e para cair no esquecimento de quem um dia morreu de amores.

Desde aquele outono, quis te esquecer ainda, mas percebi que todo esforço era nulo, perante a dor que eu sentia ao olhar para janela e enxergar as flores… Chamava-te de minha flor, depois que te perdi no outono, percebi que você era a minha primavera inteira. Por vezes, passo na calçada, que outrora costumávamos assistir o espetáculo das pipas, você me dizia que um dia queria voar tanto quanto elas, e você amava a liberdade, apesar da tamanha determinação e possuir os pés ao chão. Hoje, peço em preces para que você tenha realizado seu desejo, e sinto por não poder voar ao seu lado.

Mas acho que tudo bem, estarei contente se você estiver bem. Pois ainda posso te encontrar em meus sonhos, possuo a minha própria essência. Você ainda vive dentro de mim, e agora vejo que estou feliz por ainda sentir seu coração. E sei que quando fechos os olhos, imagino o que existe através do horizonte, você está lá, e meu coração estará sempre onde você estiver.

Sucesso! Liberdade!

Notas: Através das estações, surgem novas histórias, novas pessoas, novos sonhares… novos amares, perpetua-se pelo nosso pensamento, fazendo-nos o que somos hoje, passado, presente e futuro, pertencem apenas à nós mesmos.

Por: Luna Baker
28/04/16 às 18h50.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s