Benção, pai

cronicapost

Emily tinha apenas onze anos. Estava deitada em seu quarto, assistindo a um desenho qualquer e comendo pipoca caramelada – sua preferida.

De madrugada, o sono a invadiu. Já estava na hora de dormir, acordaria cedo no dia seguinte, precisava ir à escola. Era uma aluna exemplar, nunca havia sequer ficado em recuperação. Tinha muitos amigos, mas uma boa parte não era de confiança. Conversava com os amigos durante a aula, mas na medida do possível. Fazia todas as atividades e se esforçava. Era a típica “queridinha dos professores”.

Ela terminou de assistir ao episódio de Icarly e foi para o seu banheiro, tomar banho. Depois vestiu seu pijama de gatinho, escovou os dentes e penteou os cabelos rebeldes. Quando deitou na cama, um homem invadiu seu quarto.

Trancou a porta do quarto e fechou as janelas, depois a obrigara a tirar a roupa. O coração de Emily acelerou, a menina estava em pânico. Com as mãos suadas, ela obedeceu – não tinha outra opção. O homem tirara a roupa também. Os olhos opacos, um sorriso doentio alargando-se nos lábios espessos.

Emily se encolheu.

Ele deitou a menina na cama e a fez de boneca. Beijou, apalpou, abusou e a chantageou. Praticara com ela todo tipo de ato libidinoso. Mexeu com a parte mais fraca do ser humano… O psicológico. A fez acreditar que ele fazia aquilo por “amor”.

Ao terminar, o homem disse para a menina ficar calada, e jamais contar para alguém. A menina, enfadada, indagou:

– Benção, pai. Posso dormir agora?

Anúncios

6 comentários sobre “Benção, pai

  1. É bem difícil, conviver no mesmo mundo, em que pessoas, ou melhor, animais praticam isso… Essa é a nossa triste sociedade, sempre escondendo seus problemas por baixo do pano. Bela crítica!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Marcela, só uma dica: quando o conteúdo tiver esse tipo de teor, vale colocar no título ‘triger warning’, um aviso que pode conter algum gatilho pra quem já passou por esse tipo de coisa.
    Eu nunca vivi nada parecido, mas acho importante essa ‘prudência’ da parte de nós, blogueiros, né?!

    No mais, texto super forte.
    Beijão, querida

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s