As estrelas e o poeta

casalestrelas

Na noite taciturna
Havia um poeta olhando para o céu
Ele conversava com as estrelas…
Perguntando-as o que o destino reservava para si.

E ele ficava deitado…
Numa calçada qualquer
Tentando enxergar a alma
Das pessoas que passavam.

Sob o vazio da madrugada
Fria e sombria
O poeta se indagava:
O que será capaz de preencher o meu vazio?

O mesmo que o enfadava
E era seu companheiro de todas as horas
Mil toneladas
Não seriam capazes de se igualar ao peso que ele carregava no peito.

O poeta desviou os olhos da imensidão azul
E percebeu que uma moça o encarava atentamente
Os olhos brilhavam de curiosidade
E um sorriso contido abrilhantava sua face inesquecível.

E então ele soube.
As estrelas haviam lhe dado um presente
Melhor do que qualquer outro que pudesse imaginar
Prontamente ele sentiu que aquele presente era único.

O poeta a olhou novamente
E sorriu com os olhos:
“Obrigado, amigas.
Vocês nunca me decepcionam.”

— Alasca Young.

Anúncios

8 comentários sobre “As estrelas e o poeta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s