#EntrevistandoAutores – Karen Alvares

A entrevistada de hoje é a escritora Karen Alvares! Para conferir a biografia dela, assim como a biografia dos demais autores participantes, basta clicar aqui.

Karen Alvares

14291854_10157505840635650_2613191824334927283_n

CONTATO

Fanpage
Skoob
Twitter
Instagram
Blog
Goodreads

A Karen conta histórias para o papel há tanto tempo que nem lembra quando começou! Ela tem mais de 30 livros publicados, entre romances, antologias e contos.

Vamos bater um papo sobre seu conto “O Estranho” e conhecê-la um pouquinho mais?  😉

Desde já, nossos parabéns pelos muitos e ótimos projetos! Agora fala um pouco sobre você e quais os escritores que te influenciam…

“Muito, muito obrigada!”, ela agradece gentilmente, antes de continuar. “Bem, eu sou, além de escritora, professora de informática. Estudei TI, mas sempre gostei mesmo de escrever, e fui fazer esse curso para “me bancar” enquanto não conseguia ser escritora (será que um dia conseguirei viver da escrita?). Desde que aprendi a ler, comecei a devorar livros, e muitos escritores me influenciaram. Acho que dos muitos que fizeram isso, posso citar, é claro, Stephen King, J. K. Rowling, Mario Prata, Maurício de Souza, Carlos Ruiz Zafón e John Boyne.”

Karen, também somos super fãs do Maurício de Souza, da Rowling, do King e do Zafón! São escritores sensacionais!  ❤

Em que momento você teve a certeza de que nasceu para contar histórias?

“Quando, na adolescência, comecei a escrever fanfics de Harry Potter e publicar na Internet. As respostas dos leitores eram tão incríveis, tão carinhosas e animadas, que eu percebi que fazer aquilo – escrever – e receber esse carinho era tudo que eu queria fazer na vida e que eu tinha que seguir esse caminho.”

“O Estranho” é um conto emociante, ainda mais por ter sido dedicado ao seu avô. O que você sentiu ao escrevê-lo?

“Um misto de emoções.”, confessa. “Eu amava muito meu avô, que já faleceu, mas nós tínhamos uma relação difícil; no final, ele teve Alzeihmer, o que, ao invés de nos afastar por conta de seu esquecimento, acabou nos aproximando. Ambos esquecemos as mágoas e as divergências, e no final, terminamos em paz, e hoje sinto apenas uma boa saudade dele.” Em seguida conclui: “Escrever esse conto me ajudou a dar um ponto final na história, tentar “entrar em sua pele”, por assim dizer, e, me colocar em seu lugar, em como ele se sentiu naqueles últimos anos de sua vida e, claro, lembrar dele com amor.”

Todos os seus personagens são baseados em pessoas reais ou são inteiramente frutos de sua imaginação?

“Às vezes eles são baseados em pessoas reais, às vezes fruto de minha imaginação, e frequentemente uma mistura dessas duas coisas.”, ela conta, para então opinar sabiamente: “Acredito que um escritor é, antes de tudo, um leitor, claro, e um observador. A gente precisa ficar de olho à nossa volta, às pessoas, às coisas, aos lugares, às situações. Tudo é inspiração, é história.”

O que mais te inspira na hora da escrever?

“As situações do dia-a-dia, as coisas que parecem banais. Gosto de pegar coisas simples e transformá-las em histórias. Mas, além de observar o cotidiano, também faço muitas pesquisas. Por exemplo, ultimamente ando lendo e vendo muitos vídeos de mistérios assustadores, especialmente da Deep Web, para me inspirar para algumas histórias que estou escrevendo.

Histórias que envolvem a Deep Web?! Já estamos curiosíssimas! Hahaha

Você escreve em diversos gêneros diferentes (romance, drama, terror, horror, suspense etc.), no entanto, há algum que você goste mais e tenha um lugarzinho privilegiado no seu coração?

“Ah, com certeza o terror e o horror são meus gêneros favoritos. No fundo, acho que sou mais uma escritora de suspense, pois esse é o gênero que aparece em todas as minhas histórias, até mesmo naquelas em que ele não é o gênero principal. Porém, as histórias assustadores me fascinam, e vira e mexe eu sempre quero voltar a testá-las e escrevê-las.”

Você possui uma considerável jornada no mundo Literário, ganhando um espaço cada vez maior… Que mensagem você deixaria para aqueles que pretendem seguir o seu caminho e estão começando agora?

“Não é uma jornada fácil, muito menos curta.”, ela avisa. “Persista, siga seus sonhos! Seja profissional, leia muito, escreva mais ainda, treine todos os dias e seja crítico consigo mesmo (mas não tanto que não chegue a ter coragem de mostrar suas histórias aos outros, ouse!). É um mercado difícil, que vai tentar te derrubar, mas também é muito recompensador. Não tem nada melhor que receber a resposta de um leitor quando ele diz que gostou da sua história, que seu livro o inspirou, que ele se identificou com os personagens… Isso é maravilhoso!”

Com essa super mensagem de motivação aos escritores em início de carreira que concluímos a entrevista de hoje! Karen, desejamos-te tudo de bom e agradecemos a simpatia e o tempinho dedicado ao Devaneios da Lua!

Ficou curioso? É só ficar ligado pois em breve teremos resenha de “O Estranho”!  😉

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s