#EntrevistandoAutores – Márcio Muniz

O entrevistado de hoje é o escritor e poeta Márcio Muniz! Para conferir a biografia dele, assim como a biografia dos demais autores participantes, basta clicar aqui.

Márcio Muniz

marcioautorr

CONTATO

Facebook
Fanpage
Skoob
Instagram
Site

O Márcio possui uma extensa bagagem literária, além de ter escrito 3 livros, também organizou projetos e coletâneas literárias e participou de 18 antologias! (Márcio, eu já disse que quero ser como você quando crescer?! Hahaha).

Vamos conhecer um pouquinho mais sobre ele e sua mais recente obra, o romance Amor, Somente Amor?!  😉

Desde já, nossos parabéns pelos ótimos projetos! Agora fala um pouco sobre você… Há alguma frase ou citação que te defina?

“Obrigado pelo espaço e pela oportunidade de poder mostrar um pouquinho de mim.”, agradeceu ele, antes de apresentar-se. “Vamos lá, sou um cara tranquilo, bem família, casado e pai de dois filhos. 39 anos e que trabalha como bancário para ganhar a vida. Sou um pouco tímido mas tenho lutado muito para melhorar esta parte pois acredito que no mercado literário de hoje em dia é muito importante que além da obra, o leitor conheça o autor. A frase que mais gosto para definir quem sou é: “Sou uma parte de cada um dos que já passou pela minha vida”. Amo escrever, em especial poesia e histórias de amor, mas tento ser muito eclético em minha escrita pois acho um grande desafio escrever sobre muitos gêneros e estilos. Sou autor de 3 livros: “Amor, somente amor” (romance); “Vida e verso em prosa” (poesias) e “Encontros com o amor” (contos). Além disso, participei de 18 antologias, organizei outras duas e além de outros projetos, sou co-organizador do Sarau Poesia & arte.”

Quando você soube que queria ser escritor e poeta?

“Acho que nunca soube de verdade.”, confessou. “No fundo escrever sempre foi uma necessidade em mim. Como sou de uma geração mais antiga, na minha época era um pouco mais difícil pensar em ser um escritor e por isso, acho que jamais alimentei ou tive uma ambição de me tornar escritor. Mas nem por isso parei de criar textos e guardá-los na gaveta. Somente há três anos atrás, publiquei minha primeira poesia em uma antologia em um momento em que eu esperava menos ainda que isto acontecesse. Daí as coisas foram acontecendo e até hoje não me sinto um “escritor de verdade”, afinal este é para mim um grande prazer no qual confesso que me dedico menos do que deveria para me tornar, digamos… Um profissional da escrita.”

Em que ou quem você se inspirou para criar a trama de Amor, Somente Amor?

“A história veio de uma cena que presenciei dentro de um ônibus aqui do RJ.”, ele nos revelou e prosseguiu: “Da janela eu vi um menino sujo, pobre e negro (como o Breno) fazendo malabarismos de frente para um carro de luxo em um semáforo. Daí comecei a pensar na discrepância daquela cena, das pessoas envolvidas e de como aquelas situações poderiam se cruzar de alguma forma.”

Se fosse para escolher um personagem favorito do seu próprio livro, quem escolheria? E por quê?

“Com certeza o Breno.” Afirmou sem rodeios. “Pela determinação dele, pela capacidade que ele tem de lutar e sonhar mesmo diante da vida de dificuldades que ele vive e experimenta, tal qual muitos meninos em comunidades pobres Brasil afora.”, justificou.

Ah, o Breno é realmente um personagem muito especial e é impossível não admirá-lo!  ❤

Por que as pessoas deveriam ler Amor, Somente Amor?

“Difícil esta…”, confidenciou. “Mas vamos lá… Acredito que para poder ter este choque de realidade, afinal a gente vive em uma sociedade supostamente evoluída e livre de preconceitos, mas só da boca para fora. O preconceito social, racial e entre outros ainda está por aí. A gente só aceita certas coisas no discurso e quando não é conosco. Ao mesmo tempo, gosto de escrever sobre nosso dia a dia, a vida mais próxima de nós, pois assim posso aproximar realidade e fantasia. Mostrar que em meio ao pragmatismo pode ainda existir um quê de conto de fadas.”

Qual o público alvo que você deseja alcançar?

“Quando escrevi confesso que não pensei nisso, o que gostaria mesmo era que todo mundo lesse. Mas creio que o livro acabou cativando mais o público jovem de uma forma geral.”

Por fim, que mensagem você deixaria para casais que se encontram na mesma situação ou em situação semelhante à de Breno e Sabrina?

“Acreditem no amor! Deem uma chance a este sentimento. Sonhem mas saibam que é preciso ir a luta para realizar este amor. O amor é mais do que um sentimento, ele é uma atitude, uma luta diária. Uma flor linda e delicada e que portanto, precisa de cuidados especiais. O amor é alcançado pelo somatório de outros tantos sentimentos (respeito, tolerância, desapego, etc) que vividos, culminam no amor verdadeiro e duradouro.”

É com esta linda mensagem de inspiração que concluímos a entrevista com o autor. Márcio, agradecemos a simpatia e o tempinho dedicado ao Devaneios da Lua! Todo sucesso do mundo e desejamos que continue levando reflexão e sobretudo histórias de amor às pessoas!  ❤

Ficou curioso? É só ficar ligado pois em breve teremos resenha do livro “Amor, Somente Amor”!

Anúncios

2 comentários sobre “#EntrevistandoAutores – Márcio Muniz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s